Abordagem, aproximação, approach

Buenos Aires

“…aqui minha sombra na não menos vã
sombra final se perderá, ligeira.
Não nos une o amor e sim o espanto;
talvez por isso é que eu a amo tanto.”

Jorge Luis Borges

Existem cidades totalmente ficcionais na literatura, e um bom exemplo para nós latino americanos é Macondo de Gabriel Garcia Marques.
Existe literatura ficcional sobre cidades reais, que se transformam em cidades “literárias”. Paris e New York são talvez as primeiras candidatas. Claro que sem serem tão votadas existem outras muito importantes, como o caso de Praga de Kafka, S.Petesburgo de Dostoiewski, Dublin de James Joyce.
Estas cidades “mágicas”  existem muito mais como lugares imaginados ocupando espaços dentro das obras literárias destes autores que, se for ver bem, não existem da forma como eles as descrevem, ou melhor, as “inventaram”.
De certa forma, para mim, aconteceu o inverso: Buenos inventou em mim um lugar de sonho que já existia… nunca sonhei com ela, não sabia nada sobre ela, nunca pensei em ir lá, e… foi uma das maiores impressões que tive nesta existência.
Eu tinha certeza  que tinha perdido o precioso contato que a obra de Jorge Luís Borges propicia, principalmente aos  de natureza subjetiva, como eu, e dentre os projetos que talvez eu não vá mais ser enterrado sem realizar, estava o de entrar em contacto com a obra dele, pois o choque com Buenos Aires veio acompanhado com a sensação clara que Borges era o melhor e maior “inventor” da cidade literária que Buenos Aires.
Isto foi confirmado durante uma visita às Galerias Pacifico, em Buenos Aires, que tem um espaço cultural dedicado a ele, onde vi um mural com os seguintes dizeres:

“Un hombre se propone la tarea de dibujar el mundo. A lo largote los anos puebla un espacio de provincias, de reinos, de montanas, de bahías, de naves, de islas, de peces, de habitaciones, de instrumentos, de astros, de caballos y de personas Poco antes de morir descubre que este paciente laberinto de lineas traza la imagen de su cara.”
J L Borges “Epilogo”, E Hacedor, Obras Completas, Emecé,1989“¡Qué maravilla definida y prolija es un plano de Buenos Aires! Los barrios ya pesados de recuerdos, los que tienen cargado el nombre: la Recoleta, el Once, Palermo, Villa Alvear, Villa Urquiza; los barrios allegados por una mistad o una caminata: Saavedra, Nunez, los Patricios el sur; los barrios en los que no estuve nunca y la fantasía puede rellenar de torres de colores, de novias, de compadritos que caminan bailando (…)”
J L Borges, Textos recobrados 1919-1929, Emecé,1997Minha primeira ideia foi fazer um diário de viagens (para meu uso) ilustrando Buenos Aires a partir das portas e de poemas de Borges, como o que abro esta proposta e a porta que me motivou a isto foi a primeira abaixo, que fotografei e que induziu a imaginar o que estaria por traz de uma coisa tão fantástica assim. Tirei outras fotos de portas, localizei outras, que se seguem .
Pota do Clube Naval
Quase na hora de voltar de Buenos Aires, deparei-me com um poster sobre portas e percebi que o que me impressionou já havia impressionado outras pessoas.

Puertas 01

 

Puertas 02.jpg

puerts index 01

  1. Palácio Duhau Localização: Alvear 1683-93
  2. Arroyo 880
  3. Bunge y Born, 25 de Mayo 501
  4. Jean Jaurés,980
  5. Embajada de BrasilÇ Arroyo 1130
  6. Obras Sanitarias de La Nacion: Cordoba 1950
  7. Pres.Luis Saenz Pena 242 
  8. San Martin 1137 
  9. Intendencia M.C.B.A.: Av. de Mayo 525  
  10. Bolsa de Comercio: 25 de Mayo 325/11
  11. Bolivar 919/17
  12. La Valle 332
  13. Museo de Arte Hispanoamericano, Ing.Fernádez Blanco: Suipacha 1422
  14. Reconquista 199
  15. Callao 868
  16. Larrea 226

Não coloquei todas porque senti muita preocupação da parte de Mariano Rueda com o copy right, que alias não é mais dele. Nao tenho interesse pecuniário, mas se houver qualquer problema, retiro por solicitação de quem de direito.

Voltei ao Brasil, cheguei em casa, emoldurei o poster e o pendurei à frente de minha mesa e consegui ler em letras pequenas:
Diseño: Mariano Rueda – Fotografía Marcelo Crotti – Investigación Arq. Silvia Diehl Todos Derechos reservados.Foi assim que conheci pela Internet Mariano Rueda. Fomos conversando e ele sugeriu a ideia de expandir das portas para arquitetura e usar as fotos de Horacio Coppola juntamente com os textos de Borges no projeto.
Ele disse que para uma coisa mais ambiciosa como esta, poderíamos montar uma equipe e que poderíamos nos aproximar da Fundação Borges e de outras Instituições que poderiam se interessar tal projeto em forma de livro, e foi assim que chegamos até aqui.
A ideia demonstrou-se original, pois pesquisando posteriormente, eu verifiquei que ninguém tinha feito isto.
Coppola havia ilustrado um dos primeiros trabalhos de Borges,  Evaristo Carriego, em 1930. Coppola lançou também Buenos Aires 1936 – Visión fotográfica e em 2006,  Buenos Aires Coppola + Zuiria, junto com Facundo de Zuviría.

Evaristo Carriego
No Brasil, o Instituto Moreira Salles promoveu uma mostra do trabalho de Coppola em 2007 e editou um livro Visões de Buenos Aires, praticamente uma reedição do trabalho de 1936.

Copola 03
Incrivelmente, Borges e Coppola somente editaram juntos o livro de 1930 e, mesmo assim, com apenas duas fotos de Buenos Aires.
Ou seja, a idéia que me ocorreu é muito indicada e se eu não estiver no nível de competência com que Borges e Coppola sentiram Buenos Aires através de sua arte, meu sentimento não é menor e o identifico com o deles. Talvez eu não consiga atingir totalmente este casamento feito no céu, porem, ele existe para a eternidade, e eu o estou trazendo à luz.
Felizmente a obra de Borges é facilmente encontrada no Brasil e eu a examinei longa e cuidadosamente, o que foi um prazer e o que imagino seja a Buenos Aires mágica que existe na cabeça dos dois e que invadiu meu coração e meu imaginário, apresento a seguir.

Os elementos do quebracabeças que eu tive à minha frente eram esses e a partir dai, eu imaginei a seguinte:

Organização deste trabalho

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s